Mensagens

A mostrar mensagens de Maio, 2012

Get The Blessing

Imagem

Releituras importantes

«Bloom procurava o insólito que não sendo acontecimento mudo ou ruído, sendo sítio, obriga a caminhar. Se o que procuro chegasse à minha cadeira,  para que me serviriam os sapatos? Mas é já um conhecimento clássico: acontecimentos novos existem em espaços novos, e não em antigos. Não deixes que a tua cadeira confortável prejudique a tua curiosidade.»
Gonçalo M. Tavares, Uma Viagem à Índia Edição: Caminho

Sombras que projectam

Imagem

Das cores e seus enganos

Cícero

«Um recém-nascido não tem tantas cores como um quadro clássico, e isto é comum aos vários seres humanos. O corpo adquire cores decentes - como o vermelho, o roxo e o amarelo - somente em situações extremas onde o pudor ou a saúde são postos em causa. Um homem saudável tem o corpo a preto e branco; mais descolorido que muitos animais.»
Gonçalo M. Tavares, Biblioteca Edição: Campo das Letras

Não havia necessidade

Imagem

1 minuto de István Örkény

«O popular actor Zoltán Zetelaki caiu desmaiado hoje à tarde numa travessa da Avenida Ülloi. Foi levado pelos transeuntes à clínica mais próxima, onde se revelaram vãs todas as tentativas de reanimação, mesmo com as mais recentes conquistas científicas, tipo o pulmão de aço. O ilustre actor faleceu às sete e meia da tarde, depois de uma agonia prolongada: os seus restos mortais deram entrada no Instituto de Medicina Legal. A despeito deste acontecimento trágico, a sessão da noite do Rei Lear decorreu sem problemas. Embora um pouco atrasado e notoriamente cansado no primeiro acto (teve de recorrer ao ponto várias vezes), Zetelaki retomou gradualmente o seu brilho próprio e conseguiu interpretar a morte do rei com tanta convicção que o público lhe ofereceu uma salva de aplausos. Depois foi convidado para um jantar, mas recusou dizendo: - Hoje tive um dia difícil.»
István Örkény, «A Morte do Actor», Histórias de 1 Minuto (vol. 1) Edição: Cavalo de Ferro Tradução: Piroska Felkai

Hora: Noite

«Mas nem tudo é simples neste mundo, e o Vladímir fez às mulheres uma delação a sério, exigindo sangue e ameaçando ir-se embora (acho eu), e a Macha entra com aquela tristeza de pessoa que fez uma obra de caridade que não devia ter feito. Atrás dela marcha o Vladímir com cara de gorila. Uma boa cara masculina, a lembrar Charles Darwin, menos neste momento. Transparece nela qualquer coisa baixa, desprezível.»
Liudmila Petruchévskaia, Hora: Noite Edição: Relógio d'Água Tradução: Nina Guerra e Filipe Guerra

Casamento

Lançaram-se um ao outro como para um abraço definitivo e, numa simultaneidade mística que só o amor consente, selou-se o pacto: ele rasgou-lhe os olhos para lhe alargar os horizontes; ela agrafou-lhe as pálpebras para lhe domesticar a visão. E viveram cegos para sempre.